Primeiros quinze dias após deixar de fumar são os mais difíceis

Criado em Junho 10, 2016

pois são aqueles em que há maior probabilidade de recaída.

Quem o diz é Cecília Pardal, médica pneumologista responsável pela consulta de cessação tabágica no Hospital Fernando Fonseca e ex-coordenadora da comissão de tabagismo da Sociedade Portuguesa de Pneumologia.

Neste sentido, a especialista deixa uma série de dicas e conselhos aos que querem deixar de fumar: «O fumador que queira deixar de fumar deve mudar os seus rituais e hábitos associados ao cigarro e ao acto de fumar. Por exemplo, deve alterar os locais onde habitualmente fuma, como o carro, o sofá ou ao computador. Se fuma com a mão direita, deve alterar para a mão esquerda. Sempre que tem vontade de fumar, deve tentar adiar o cigarro o máximo de tempo que conseguir. Dificultar o acesso ao tabaco e, quando sai, não levar consigo o lume são algumas das medidas que ajudam a ultrapassar a dependência».

Evitar situações que lembram os cigarros, como as festas, reuniões stressantes ou estar com o grupo de amigos que fumam são outras das atitudes que se podem adoptar, bem como reduzir o consumo de álcool e do café, sendo sabido que os cigarros mais difíceis são os que se fumam a seguir ao café e a seguir às refeições. Devem também ter sempre as mãos ocupadas, com uma caneta ou o telemóvel e mastigar pastilhas ou rebuçados sem açúcar.

Outra ajuda poderá ser dada pelo “Diário do Fumador”. Trata-se de um onde o fumador pode apontar a que horas fumou, o motivo que o levou a fumar e se esse cigarro valeu a pena. Muitas vezes, a pessoa percebe que fuma muitos cigarros sem reparar e esses são os mais fáceis de eliminar, expica a médica.

“É ainda importante pedir apoio aos familiares e amigos, para serem mais compreensivos caso fique mais irritável. Falar com ex-fumadores sobre as dificuldades sentidas também pode ajudar. Como actividade complementar, o exercício físico pode ser uma grande ajuda, pois além de ocupar o tempo e fazer esquecer o cigarro, evita o aumento de peso que pode estar associado à cessação tabágica”